BURACO (conto)

Não lembro mais a quanto tempo estou aqui, mas foi contra minha vontade e agora, tenho me concentrado em ficar vivo, vamos ver onde vai dar… Resolvi escrever essas linhas para não fazer silêncio, porque se não conseguir, vou deixar minha contribuição… Para situar aqueles que se interessarem, em algum momento fomos trancados em caixas e colocados em um buraco, que de maneira inexplicável, continua sendo furado… Sem nenhuma regularidade e aviso, eu sinto ser empurrado para baixo… sempre pra baixo, degraus que nunca terminam… contei até o dia 150, muitos já se passaram depois disso, mas o desânimo e a dúvida me fizeram parar…

Não consigo sair da gaiola, ou sei lá o que, em que me enfiaram, nem parar o processo de afundar nesse túnel vertical… na verdade, ninguém pode, só posso comer e esperar… e pensar é claro, pra isso o tempo até sobra, o problema é pensar errado… se isso pode ter fim, se o fundo existe se será aqui a minha cova… se algum milagre da gravidade vai me mandar para outro mundo? Teorias desse tipo brotam na minha mente constantemente, minha noção de realidade já foi rompida e nem lembro quando… mas lembro dos avisos… nós avisamos e avisamos muito, de todas as formas… ouvia os risos, o menosprezo, e agora estamos todos na mesma.

Os que riram agora fazem silêncio, não porque querem, mas porque ninguém pode ouvir… não é possível dialogar aqui… só pensar… e as ideias estão cada vez mais bizarras… às vezes sinto raiva, acho que só quero sair vivo pra poder mostrar… Ao mesmo tempo, tento ter esperança e espero que muitos compartilhem desse otimismo ingênuo… eu vou sair dessa e, se precisar, vou escalar escalar essa merda até o topo e procurar os donos canalhas dessa broca infinita… sinto que preciso me concentrar na vida e na paciência… vivo e lúcido… é o meu objetivo… por enquanto único… mas como disse antes, teorias brotam na mente nessa escuridão e a raiva pode invadir essas reflexões e o desespero também… quanto tempo ainda tenho que aguentar? O que vai sobrar pra mim do lado de fora?… pelo jeito é melhor parar por hoje…

Tem momentos que eu queria dormir até esse pesadelo acabar… a boa notícia é que o elevador está estacionado, mas nunca se sabe quando vai sair do lugar de novo, só tenho certeza da direção… Vou acabar chegando vivo ao inferno… e todo mundo que estiver nesse lugar… talvez já tenhamos chegado… será esse o fundo do poço? Não duvido de que seja possível ir mais fundo! Sem controle nenhum nada mais surpreende, só se algum milagre levar meu vagão pra cima… e isso eu duvido… acho que o mecanismo nem aceita a possibilidade… triste, muito triste…

5 comentários em “BURACO (conto)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s